Para que serve cada item do sistema elétrico de uma residência?

Tomadas, interruptores, quadros de distribuição e passagem, disjuntores e eletrodutos

Planejar e cuidar da rede elétrica da sua casa é também cuidar da segurança e do bem-estar daqueles que nela vivem. Uma forma de fazer isso é conhecendo o que está por trás dos aparelhos elétricos da residência e o que os integra, suas variedades de materiais e suas funções, já que eles são tão necessários no dia a dia.

Conheça mais sobre alguns itens do sistema elétrico da sua residência.

 

Tomadas:

São dispositivos para ligação de equipamentos elétricos ao sistema elétrico da residência. Podem ser de 10 Ampere* ou de 20 Ampere, dependendo da necessidade. Equipamentos que demandam maior potência elétrica utilizam tomadas de 20A, como micro-ondas, máquinas de lavar etc. É necessário observar que uma tomada de 20A  deve ser ligada a uma fiação interna que corresponda à maior demanda de corrente elétrica.

*Ampere – unidade de corrente elétrica.

 

 

 

Interruptores:

Interruptores são dispositivos de interrupção ou acionamento de cargas elétricas, usados para controle de sistemas de iluminação. Existem diversos tipos de interruptores para diferentes necessidades. Um interruptor simples controla um ou mais pontos de iluminação através de um local apenas. Para acionamento de dois locais, como por exemplo em um quarto, um interruptor perto da cama e um interruptor perto da porta controlam o mesmo ponto de iluminação, são utilizados interruptores paralelos. Para 3 ou mais pontos de acionamento, utilizam-se interruptores intermediários. Também há diferenciação quanto ao número de fases ligadas a ele, quando se ligam duas fases, utilizam-se interruptores bipolares.

 

 

 

Quadro de distribuição e passagem:

O quadro de disjuntores é a central de distribuição de energia elétrica dentro das residências. Nele, ficam acomodados disjuntores de proteção que se dividem em diversos circuitos elétricos, que vão para os cômodos da construção. Cada um desses circuitos deve ter um disjuntor para protegê-lo e, para seu dimensionamento, é indicado também prever um possível aumento do número de circuitos e deixar espaços vagos para novos disjuntores.

A energia que vem da rua passa pelo relógio medidor e é levada pelos condutores até o quadro de disjuntores, no qual são conectados a disjuntores de proteção e se dividem em diversos circuitos elétricos, que vão para os cômodos da construção. Cada um desses circuitos deve ter um disjuntor para protegê-lo.

 

 

 

 

Disjuntores:

Disjuntores termomagnéticos servem para proteger as instalações elétricas. São comumente instalados em quadros de distribuição e interrompem circuitos elétricos quando há curto circuitos, sobrecargas e fuga de corrente. Por isso, são essenciais para a proteção de sistemas elétricos, evitando incêndios e choque elétrico.

 

 

 

Dispositivo DR: 

O dispositivo DR é responsável pela proteção contra os efeitos do choque elétrico por contato direto ou indireto, e identifica pequenas fugas de correntes elétricas em menor tempo, as quais os disjuntores comuns não conseguem identificar, garantindo segurança para os usuários e mais vida útil aos equipamentos eletrodomésticos da casa. Deve ser instalado no sistema elétrico em conjunto com os disjuntores comuns.

 

 

 

 

Eletrodutos:

Eletrodutos ou conduítes são dutos, embutidos ou aparentes, por onde os condutores passam para realizar as conexões elétricas de uma instalação. Para um correto dimensionamento deve ser observada a taxa de ocupação para que os eletrodutos possuam um espaço para circulação de ar e também prever um possível aumento de circuitos.

 

 

 

Fique atento  às condições da rede elétrica e evite dores de cabeça – Confira o texto “8 perigos no sistema elétrico do seu imóvel”.

Descubra também como fazer o planejamento elétrico do seu imóvel: